2011

Padrão

2011 foi assustador, vi que eu estava sem para-quedas quando me lancei e larguei o que tinha que largar.Fiquei sem saber direito para onde ir.Me procurando ando.Ando, ando, ando eis que 2012  vem chegando. Como vai ser teu adjetivo meu querido novo ano?Revelador já tá de bom tamanho.

Desejo: Que eu veja a minha luz de novo. Que eu possa realmente me enxergar. Que eu me tire para dançar, não desistir da terapia, decidir e realizar o que eu quero para mim.

 

Bjalus

l

Anúncios

Saber sair

Padrão

Acho que quem lê meus textos me conhece, acho.

Então conhece minha trajetória profissional.

Foram 7 anos que respirei um desafio. Uma missão linda.Um dia não tive vontade de levantar para trabalhar. Bastou para meu coração me dar um fisgão. Deu, está na hora de sair.

E saber sair não é nada fácil.

A gente sabe que tem que fazer, mas também sabe que vai sofrer, mas como está sofrendo em continuar, vai lá e faz.Pronto.

No meu caso, eu simplesmente saí, sem plano.Sem para-quedas.Minto eu tinha um, mas seria meu  úlltimo recurso.

E fui eu inventando projetos e montando mil empresas imaginárias. Tudo defesa. Medo de enfrentar o medo de falar o que eu queria fazer e que agora estou fazendo.

Mas não é sobre isso que comecei a escrever.

Então, sai. E sabe de uma coisa, eu tive muita classe (sem nenhuma modéstia) ao sair e fui muito macha quando aguentei no peito os efeitos da escolha. Porque tem. Eu chorei muito, no banho então.Soluçava. Pensava nos 7 anos intensos em que eu acreditava naquele sonho. Foi bem f..

Hoje, sei que sofri por insegurança, por medo de não conseguir superar e também porque não me planejei.Mas eu sabia que tinha acabado e fiz o certo. Afinal eu cumpri o que me propus, instalar as unidades, construir a democratização do ensino no RS. Iniciei e terminei. Todas existem e funcionam bem. Quando não tinha mais nada para abrir, para começar do zero, eu não cabia mais naquela rotina. Estava tudo pronto. Era chegada a hora de sair.

É gratificante saber que eu fiz o meu melhor e não por acaso depois de quase 2 anos fora, hoje fui recebida com aplausos por uma equipe com muitas pessoas que nem trabalharam comigo. E as que trabalharam, me olhando com respeito.

Mas só consegui ter essa recepção hoje quando fui falar da Central Livros no workshop do IDRS porque eu soube sair.

Nunca tinha me sentido tão reconhecida. Foi lindo.

Por isso, agradeço a Deus até por tudo que chorei, peço desculpas pelo meu medo de ter feito a escolha errada.Tenho muito que aprender, mas sei que também posso ensinar. Agradeço ao Dani, há esse merece um post em breve, porque para segurar minha onda, ele ouviu cada coisa.

Em resumo, posso dizer que :

As escolhas dolorosas trazem provas lindas de que fizemos a escolha certa.

Bjalus